COMO AS CORES DAS ROUPAS PODEM VALORIZAR VOCÊ? |

COMO AS CORES DAS ROUPAS PODEM VALORIZAR VOCÊ?

16 setembro, 2011 por Luciana Garcia

Instintivamente, nós percebemos quando vestimos uma roupa de determinada cor que nos valoriza. As pessoas também comentam: “Nossa, você ficou tão bem com essa cor!”. Mas como isso acontece? A cor em si é bonita e nos faz parecer mais radiantes, ou há alguma ciência por trás disso?

Há muitos anos, as faculdades de moda estudam a combinação de cores em relação ao tipo físico das pessoas. Há uma classificação que divide as cores em quatro grupos: primavera, verão, outono e inverno, cada um deles agrupando determinados matizes. O problema dessa classificação é que as estações foram determinadas no hemisfério norte, e, portanto, estão muito distantes da realidade das cores que temos ao nosso redor no hemisfério sul, de modo que o verão é muito apagado e discreto, o outono bem alaranjado, o inverno de tons fortes que contrastam com a neve e a primavera um pouco menos alegre do que estamos acostumados a ver. Isso acaba criando dificuldade na associação das cores pela pessoa que é analisada, sem contar que não apresenta tanta precisão.

Além dessa, existe uma segunda classificação, que determina se a pessoa possui uma “harmonia” quente (ou seja, que deve usar mais cores quentes, como vermelhos, alaranjados e verdes) ou fria (mais focada nos cinzas, azuis e rosados), ou seja, se os tons de cabelos, olhos e pele da pessoa são mais puxados para os dourados, verdes, amarelos e marrons ou para os prateados, azuis, cinzas e pálidos. O problema dessa análise é que ela ainda não é tão precisa, porque não leva em conta nem a pigmentação da pele, nem os diferentes níveis de claridade da pele nem a relação de contraste entre as cores com esses dois fatores.

O método de análise mais atual e preciso, baseado nos princípios de óptica, consiste em comparar, por meio do contraste das cores, a predominância da pigmentação da pele (amarelada ou rosada) em relação à cor da roupa, considerando também a claridade e o nível de contraste dos elementos marcantes do rosto (sobrancelhas, olhos e cabelos, principalmente). Essa análise tem de ser feita pessoalmente, porque cada pessoa é absolutamente única na combinação desses elementos.

Alguns sortudos, por exemplo, têm a pele neutra, ou seja, conseguem usar uma variação muito grande de cores pelo fato de a pigmentação de sua pele ser muito equilibrada – sejam mais brancos ou morenos –, especialmente em relação ao amarelo e ao rosa; no entanto, mesmo esses casos variam de acordo com a claridade da pele e o contraste do rosto, e somente a análise de um consultor de imagem treinado poderá determinar essas particularidades. Porém, há algumas dicas gerais que podem ajudar você a se autoavaliar até ter a possibilidade de fazer uma análise aprofundada:

 

  • Negros que desejam dar destaque ao rosto devem dar preferência a roupas pretas, que deixam a pele mais clara. Normalmente, tons quentes também caem bem.

 

  • Loiros de pele e olhos claros, em geral, costumam ficar bem com os chamados “tons bebês”, ou seja, cores bem claras, com muita mistura de branco, puxadas para os azuis e rosados.

 

  • Pessoas de pele morena, na maioria dos casos, tendem a ficar bem com cores quentes (amarelos, vermelhos e verdes).

 

  • Pessoas de alto contraste, ou seja, muito brancas e de cabelos e olhos escuros podem abusar das cores fortes e intensas, como o vermelho, o azul e o amarelo.

 

  • Ruivos variam de acordo com a pigmentação da pele, mas o mais comum é terem harmonia com tons terrosos, vermelhos, verdes e amarelados. O preto faz um bom contraste com o cabelo.

 

  • Vinho e azul-petróleo caem bem na grande maioria das pessoas.

 

Mas atenção: como foi dito, nem sempre essas regras são válidas! Há negros de harmonia fria e brancos de harmonia quente, por exemplo. Para saber com precisão o seu caso, é necessário uma consulta individual. O interessante dessa análise, embora não costume ser muito barata, é que, uma vez feita, poderá ser utilizada a vida toda, revelando inclusive tons de cabelo ideais para aqueles que gostam de tingir ou para grisalhos, a influência exercida por barbas, bigodes e cavanhaques, além de amenizar olheiras e deixando o rosto com aspecto muito mais saudável. Para pessoas que trabalham muito com imagem, em especial, a análise é altamente recomendada, pois, além da harmonização da roupa, a cor de fundo de fotografias também interfere bastante na valorização de sua aparência.

 

* Se você tiver interesse em agendar uma análise personalizada em São Paulo ou em Porto Alegre, entre em contato pelo email luaestilo@ig.com.br.


Este post foi criado em: sexta-feira, 16 setembro, 2011 ás 2:13 pm na categoria Moda. Você pode seguir qualquer resposta para essa entrada pelo RSS 2.0 feed. Se preferir pode deixar uma resposta, ou trackback do seu próprio site.

Deixe um comentário