19, agosto, 2010 | UmMetrossexual.com

FESTA DE CASAMENTO: COMO NÃO ERRAR NA ROUPA

19 agosto, 2010 por Luciana Garcia

Antes de mais nada, ainda bem que você é o convidado, e não o noivo rs (se for, não faltarão pessoas palpitando, mas eu ainda defendo polemicamente que acho lindo o terno branco em alguns homens, especialmente na estação de calor). Para as mulheres, casamento geralmente é sinônimo de vestido novo, cabelo, maquiagem, sapato… uma delícia! Já para os homens, não passa de uma complicação: como se vestir? Para descomplicar, aqui vão algumas dicas que podem ajudá-lo nesses momentos – afinal, é sempre um ótimo local para conhecer novas pessoas, e você certamente não achará ruim ser admirado.

Uma vantagem para o homem é que existe uma convenção: terno, formado por calça, paletó e camisa, podendo ser combinado com colete e gravata, além de lenços, prendedores, broches e abotoaduras. Não há outra opção. Isso tem um lado bom e outro ruim: o bom é que fica mais fácil de acertar. O ruim é que não dá para fugir muito dos protocolos. Mas isso tem um fundamento: a cerimônia de casamento é um acontecimento importante (espera-se!) para os envolvidos, e vestir-se bem para encontrá-los representa quão importantes eles são para você. Assim, se pensar em fazer um look mais casual, lembre-se de que isso provavelmente revelará pouco caso com as pessoas ou uma rebeldia em um momento inapropriado – já que dará a impressão de que você deseja chamar mais a atenção do que os noivos –, e, mesmo que não seja muito próximo do casal, não é nada mal marcar presença de maneira positiva. Até porque, convenhamos: um bom terno dá um ar de charme dificilmente superável.

Tipo físico

Acima de tudo, o ajuste é fundamental. Dificilmente você encontrará um terno pronto para vestir – ainda mais se estiver fora do “padrão” e for mais alto, baixo, gordo ou magro que a média –, e, se tiver um em casa, prove-o novamente e olhe bem os pontos que merecem uma visita à costureira ou ao alfaiate para cair melhor: uma barra na altura inadequada, ombros largos, lateral larga, tecido sobrando, etc. Acompanhe o que funciona melhor com seu tipo físico:

Baixo: escolha tons escuros; risca-de-giz e paletó fechado alongam, mas tudo deve ser bem ajustado. Use paletó de três botões, lapela pontuda e colarinho estreito, não muito comprido.

Gordo: o ideal é usar cores escuras, listras discretas e corte reto, ligeiramente mais justo na parte de baixo, cobrindo o quadril e com aberturas laterais na parte de trás. A manga também deve ser ajustada. Gravata chamativa tira a atenção da barriga. Não use colete, que engorda. O paletó abotoado, por outro lado, emagrece. Opte por lapelas mais estreitas.

Magro: colete ajuda a ganhar um pouco de volume. Lance mão das ombreiras, mas cuidado para não exagerar. O colarinho não deve ter ponta nem botão. As lapelas médias são uma boa escolha, mas nunca use as largas.

Alto: os colarinhos e os nós de gravata devem ser mais largos. Use ombros um pouco maiores, paletó com dois ou três botões e lapelas mais largas.

Outras dicas:

  • A parte de trás da barra da calça termina logo acima do calcanhar, e na frente, no peito do pé.
  • A cor da meia deve ser a mesma da calça, escura.
  • A cor do sapato combina com a do cinto.
  • O terno deixa aparecer cerca de 1 cm dos punhos da camisa (cuidado para a manga não ficar curta, especialmente se você for alto; nesse caso é melhor optar por um número maior e mandar ajustar).
  • Camisas com golas abotoadas devem ser usadas com gravatas estreitas e a gola deve estar totalmente reta.
  • O paletó fechado deve estar confortável, e não justo demais.
  • As pontas da gravata devem terminar juntas e alcançar o início da fivela do cinto – nunca devem ficar sobre a barriga nem por dentro da calça.
  • O prendedor de gravata deve ser usado 20 cm acima da ponta da gravata, prendendo-a à camisa.
  • Lenço no bolso pode ou não combinar com a gravata. No segundo caso, é mais criativo – porém mais fácil de errar.
  • Abotoaduras são usadas com camisa de punho duplo, geralmente com casaca, smoking e fraque, trajes mais formais que o de “meros” convidados.

Tendo feito o trabalho pesado, aproveite: o terno é sexy!

* Para este texto tive a gentil colaboração da professora de História da Moda Queila Ferraz, do Senac São Paulo, articulista do blog Fashion Bubbles: http://fashionbubbles.wordpress.com/category/queila-ferraz/.


Categoria: Moda | 12 Comentários »